Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

IT-WOMAN

Inspiring Others, by Sandra Leonardo

IT-WOMAN

Inspiring Others, by Sandra Leonardo

Ter | 09.01.18

globos de ouro 2018 # Time's up now

Sandra Leonardo

 

Time's up now! 

 

 

Foi a palavra de ordem este ano no evento que se realiza para destacar a sétima arte e os seus protagonistas. É verdade, basta, basta de fingir que não acontece, basta de fingir que não existe, basta simplesmente de adoptar uma atitude pacifica, cínica e hipócrita. Foi este o mot que levou um grupo de mulheres influentes a criarem o movimento mais badalado do momento "Time's up".

 

O movimento surgiu como forma de protesto contra os predadores sexuais que proliferam no mundo fantástico de Hollywood, onde afinal nem tudo o que parece é, onde as rosas têm tantos espinhos que pena é que não firam de verdade as partes baixas dos tarados a quem o mundo reconhece como actores, realizadores, encenadores, enfim os palhaços poderosos de Hollywood.

 

Este é de facto um assunto a que eu gostaria de dar destaque aqui no Blog, não só pela sua actualidade, mas também pela importância e pelo respeito que me merece, enquanto mulher, mãe e trabalhadora (não, não sou actriz), afinal o assédio não acontece só em Hollywood, qualquer uma ou um nós está sujeita/o e é contra isso que nos devemos insurgir.

 

Globos de Ouro é na verdade sinonimo de glamour, de passadeira vermelha e de vestidos magníficos. Este ano por causa do movimento Time's up as senhoras (e os senhores em jeito solidário) foram vestidas de preto como forma de protesto contra o assedio sexual de que são vítimas as actrizes (eu tenho para mim que há actores que também são vítimas, mas...). E imaginem só, as expectativas foram superadas e o preto básico mostrou mais uma vez que black is allways a good option, parafraseando a nossa saudosa  Ivone Silva "com um simples vestido preto eu nunca de comprometo". Ele era preto em tule, ele era preto em veludo, ele era preto em renda, ela era preto em plumas, em brilhantes, enfim materiais nobres que acabaram por mostrar que ao contrário do receado os modelos foram variados e cada um destacou-se bem do outro, não havendo lugar a monotonia nem enfado.

 

Vou eleger o vestido que considerei TOP  

 

 

Reese Witherspoon, a actriz vestida pelo designer norte americano Zac Posen. Não foi dos vestidos mais vistosos, nem pela irreverência do design, nem mesmo pela criatividade. No entanto o corte fez dele, para mim, o eleito da noite, pela elegância, simplicidade e sofisticação. Oh sereia.

 

O vestido que me apavorou

Foi o de Sarah Jessica Parker num modelo dos estilistas Dolce & Gabanna. Alguém me explica por favor o que é que se passa na cabeça desta senhora. Que confusão, que turbilhão. Eu sei, a culpa não é dela, é dos estilistas que não chegaram a acordo quanto ao modelo e resolveram fazer um mix. Melhor vieram passar uns dias à Nazaré e acharam piada aos trajes das nossas varinas. Pois, mas podia ter recusado determinantemente usar essa bola mal ajeitada de tecidos. Ai essa mão na anca que raiva, e esse cabelo caído, só faltava ostentar uns quantos cordões de ouro e lançar pregões, qual varina. Sim sim não olhes para mim como quem me está a fitar. ARRRRRRRRRRRRR......... 

 

E vocês amaram algum modelito em particular? Já agora o que acham das minhas escolhas? Digam nos comentários